fbpx
Whatsapp (31) 3069-8315
atendimento@certificacaolinux.com.br
certificacao linux
Treinamento Profissional linux. Experimente Grátis! ‪

Sua certificação oficial.

Laboratórios práticos baseados em cenários proporcionam experiência em servidores reais. Cursos em vídeo individualizados e detalhados em todos os tópicos Linux, Cloud e DevOps.

servidor_virtual Treinamento Profissional linux. Experimente Grátis! ‪

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

5 Passos para Passar na Prova

Empregos em Linux estão em alta. Você pode ter acesso a 3.600 vagas de Linux.

A presença do Linux Professional Institute cresceu abundantemente no país e a procura pelas provas certificatórias também cresceu.

Isto é reflexo do crescimento do uso do sistema operacional Linux, e da percepção das pessoas em tornarem-se profissionais e serem bem pagas por isto.

Hoje o LPI conta com mais de 32.000 pessoas certificadas no mundo.

Captura-de-Tela-2018-09-28-às-20.25.37 5 Passos para Passar na Prova

1. Passo: ter força de vontade

Ter força de vontade vai além do simples querer. Envolve saber aquilo que se quer, pensar nos benefícios daquilo que se quer e avaliar os requisitos.

2) Passo: marcar a prova

Escolha um centro Pearson Vue próximo de você e marque a prova com uns três meses de antecedência.

3. Passo: comprar um bom livro

Escolha com carinho o livro. Se possível pegue um exemplar na livraria e leia algumas páginas.

Veja se o estilo de escrita do autor lhe agrada você. Isso é importante. Se você é prático, vai detestar ler um texto de alguém detalhista.

Se é detalhista, vai odiar ler um texto de uma pessoa concisa. Sim, o perfil importa.

Porque estudar já não é fácil e qualquer resistência ao meio vai dissipar sua força de vontade.

Então você precisa gostar do estilo do autor. De uma olhada no meu Livro, o Certificação Linux. 

Você pode ler o primeiro capítulo aqui.

4. Passo: fazer exercícios

O cérebro é um “músculo”. Quanto mais exercitado, mais forte e resistente ele fica.

5. Passo: fazer simulados

Este item é um complemento do anterior, mas é tão importante que resolvi separá-lo para que você dê mais atenção a ele.

Um simulado vai lhe dar uma idéia exata do tipo de questões das provas nas quais você vai deparar pelo caminho.

Há questões que são maldosamente formuladas para que você caia na vala do senso comum.

Gostou dessa dica ? Que tal se preparar de verdade e com objetividade ? Conheça nosso cursos preparatório para LPIC & CompTIA.

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Porque aprender Linux?

O Linux está cada vez mais presente em grandes empresas e em áreas críticas de crescimento, especialmente em Cloud Computing.

As organizações empresariais têm identificado Linux como a plataforma dominante para a computação em nuvem (76% dos servidores).

Já na área de novas aplicações e serviços, mais de 75% das organizações relatam que adotaram Linux nos últimos dois anos.

A Linux Foundation tem visto a crescente demanda por profissionais e por matrículas em programas de formação para Linux nos últimos anos.

Também nota-se um aumento no número de usuários do mundo dos negócios que contribuem para a comunidade.

Isto porque o Linux é um sistema seguro e muito eficiente para várias empresas sem fins lucrativos, para o governo e para várias outras empresas.

Acompanhe no post de hoje e conheça algumas delas:

Eles usam Linux e você nem imaginava

 1 – NASA

A NASA precisa de um grande poder de processamento para fazer cálculos complexos, armazenar dados de forma segura e realizar pesquisas e experimentos.

Sim! A Nasa usa Linux em seus satélites, em seus robôs e em seus supercomputadores.

Quase todos os supercomputadores do mundo utilizam Linux. Supercomputadores também são usados para diversas coisas que afetam sua vida cotidiana, praticamente sem você perceber.

O número oficial é que quase 94% dos 500 maiores supercomputadores do mundo funcionam com Linux.

2 – CERN

A maior e mais cara máquina construída pelo homem, que tenta revelar os mistérios mais profundos e fundamentais da física usa o Scientific Linux.

Os processadores dos laboratórios do CERN processam mais de 15 petabytes por ano, a quantidade de dados usada para abastecer o LHC (Large Hadron Collider) em um ano. O Linux é muito eficiente nessas tarefas.

 3 – Os exércitos do mundo

Especificamente nos Estados Unidos, a frota de submarinos mais avançados no mundo utiliza Linux para controlar todos os sistemas de bordo.

Há também muitos outros projetos do exército americano que usam Linux, como drones e aeronaves.

4. A Bolsa de Valores de Nova York

150 bilhões em ações e títulos são negociados todos os dias na bolsa de valores mais ativa do planeta.

E para a sua surpresa, a Bolsa de valores de Nova York conta que o Linux em todas as suas operações, isto porque qualquer pequeno erro poderia significar uma perda de vários milhões de dólares.

5 – Os governos do mundo

Vários governos do mundo estão mudando seus sistemas operacionais para o Linux, pois não podem gastar milhões de dólares em licenças de outros softwares. A mudança de curso deve ser gradual.

No Brasil ele é usado principalmente para tarefas administrativas, ou seja, para servidores e PCs de usuários que trabalham no governo.

6 – O trem-bala japonês

É o sistema ferroviário mais pontual no mundo e usa Linux para todas as suas tarefas, desde a organização, controle do tempo e para tarefas administrativas.

A cada ano, o Shinkansen (trem-bala) transporta mais de 151 milhões de passageiros por ano, a uma velocidade máxima de 320 km/h.

7 – FAA

É a Federal Aviation Administration dos EUA. Eles devem monitorar todo o tráfego aéreo e executar muitas tarefas de apoio e administração da aviação americana.

Aqui especialistas e os sistemas de inteligência artificial são obrigados a executar cálculos e tomar decisões que podem afetar milhares de passageiros.

8 – Facebook

O Facebook também utiliza o Linux, especificamente para operar os dados dos seus mais de 1.00 milhões de usuários, utilizando uma versão modificada do CentOS 5.2.

9 – Google

A escolha foi simples para o Google: o preço mais baixo, o melhor desempenho e a capacidade de personalizar qualquer parte do sistema operacional.

O Google não só usa Linux em seus milhares de servidores de alto desempenho, mas também em PCs onde cada empregado pode personalizar o seu Linux como quiser.

10 Wikipedia

Mais de um milhão de itens que todo mundo usa para trabalhos escolares são montados em servidores Linux.

Milhares de visitantes por minuto e menos de 10 pessoas para gerenciar todos os trabalhos de manutenção. Você acha se poderia fazer isso com o Windows?

11 – Android

O Android presente em mais da metade dos celulares do mundo usam o Linux. Você sabia?

E então, ficou surpreso com a quantidade de potencias mundiais que adotaram o Linux? Conheça nossos cursos e seja mais um a entrar neste mundo!

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Ta precisando de um firewall de verdade?

Aprenda a configurar o Firewall pfSense, um firewall robusto e gratuito

O mercado de Firewall é extremamente grande. Se você imaginar que toda empresa hoje tem uma conexão com a Internet, e que essa conexão precisa ser compartilhada com segurança, você pode utilizar o pfSense para dar consultorias e fazer instalações de Firewall, cobrando uma mensalidade para manutenção. Já pensou nisso ?

O uso de software opensource fica cada vez mais interessante para empresas que buscam uma oportunidade de trabalhar com plataformas baratas e de qualidade como o Linux. Encontrar um firewall livre que seja mais simples de usar e consiga proteger a rede de ameaças externas com eficácia pode ser fácil, e o pfSense veio provar isso.

Nesse post você vai entender um pouco mais o que é pfSense, como ele pode ser uma boa oportunidade para redes e quais são suas principais características e vantagens. Acompanhe!

O que é o pfSense? 

O pfSense é um software livre e gratuito com base no sistema operacional opensource FreeBSD que foi adaptado para trabalhar como um firewall ou até mesmo como roteador de redes, e funciona em sistemas Linux. Desde sua primeira versão em 2004, seu uso cresce bastante por ser um sistema que pode ser instalado em diversos tipos de hardware, atendendo às necessidades de diferentes negócios e por ter a capacidade de expansão através do uso de inúmeros pacotes que podem modelar o uso da rede.

Quais as principais características do pfSense?

O pfSense trabalha com a maioria dos recursos que firewalls tradicionais oferecem – como bloqueio e controle de acesso e monitoramento de tráfego – mas por ter código aberto ele não tem tantas limitações e pode ser modificado e melhorado. Mesmo sem conhecimento aprofundado de sistemas UNIX, usuários conseguem instalar e configurar o serviço sem grandes dificuldades. Outros recursos adicionais que o pfSense também oferece – como a configuração de VPN (Virtual Private Network), geração de chaves RSA, e monitoramento de tráfego – fazem dele uma boa opção na hora de escolher o serviço.

Entre as principais características e vantagens do pfSense podemos destacar:

Interface configurável

Ao invés de linhas de código, como normalmente é o caso de firewalls opensource, o pfSense oferece uma interface web fácil de usar que pode ser configurada pelo usuário.

Pacotes de expansão

Por trabalhar em código aberto, o pfSense possui uma infinita variedade de pacotes que permitem a expansão do sistema. Eles permitem diferentes tipos de acesso, relatórios detalhados da entrada e saída de dados, formas de exportar configurações, e muitas outras funcionalidades.

Liberdade de hardware

O pfSense permite a instalação em diferentes tipos de hardware, e não é comercializado junto a um equipamento específico como é comum em sistemas de firewall comerciais. Para ajudar na hora da instalação, o pfSense.org oferece um guia de hardware recomendado para as necessidades de cada negócio.

Tabela de estado com mais controle

A tabela de estado permite que usuários verifiquem o tráfego e as configurações das redes usadas. Firewalls tradicionais já permitem esse acesso, mas o pfSense consegue um controle muito maior sobre ela graças ao Packet Filtering do OpenBSD.

Relatórios de uso

Além da tabela de estado, é possível monitorar estatísticas como o estado do firewall, rendimento total e individual do sistema, tempos de resposta, utilização da CPU, e pacotes enviados e recebidos.

Aprenda como usar o pfSense

Para conseguir explorar as vantagens do software opensource do pfSense, é importante contar com uma certificação que ensine as melhores formas de usar a plataforma e como configurar funções específicas, como definir o balanceamento de carga multi-wan e definir as regras de NAT. Ter esse conhecimento pode ajudar técnicos a conseguirem oportunidades de emprego em grandes empresas que já trabalham com o pfSense internamente.

Quer aprender mais sobre pfSense? Conheça o curso da Certificação Linux!

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Benefícios da Certificação Linux

Veja os benefícios diretos da certificação LPI

1. Um ótimo meio de comprovar sua competência. Uma coisa é saber. A outra é comprovar. É por isto que a prova da
LPI exige muito do candidato, de forma que os aprovados são de fato capazes de operar um sistema Linux seja ele qual for.

2. Substituir uma possível falta de experiência. É muito comum nas entrevistas de emprego os candidatos serem preteridos por falta de experiência. Ainda mais para os recém-formados na área da computação. Mas uma certificação supre esta deficiência curricular com louvor.

3. Aprender o Linux de forma didática e objetiva. Se você já tentou aprender Linux mas desistiu, é porque tentou com o método errado. É preciso foco, disciplina e objetivos bem definidos.

4. Conseguir uma Promoção. A tão sonhada promoção só aparece para quem está bem preparado e para aquele que o chefe vê vontade e capacidade de crescimento. As empresas apostam sempre no potencial das pessoas e não no que a pessoa já fez. As empresas promovem olhando pra frente e não pelo espelho retrovisor.

5. Agregar valor ao seu cartão de visitas. Se você for um consultor de Informática, você irá agregar grande valor no seu cartão de visitas com uma certificação logo abaixo do seu nome. Pode apostar!

Quer se preparar melhor para as provas? Faça nosso curso de Linux preparatório para prova.

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

22 cursos de alto nível por 49,00 mensais

Prá que pagar por curso que te dá apenas aulas?

super_pacote_novo1 22 cursos de alto nível por 49,00 mensais

Muito mais do que aulas, aqui você tem simulados, livro, servidores em cloud, flashcards, mapas mentais, palavras-cruzadas, guias de estudo e glossário em vídeo dos comandos.

  • Linux+ LPIC-1: Exame 101/103
  • Linux+ LPIC-1: Exame 102/104
  • Linux LPIC-2: Exame 201
  • Linux LPIC-2: Exame 202
  • Firewall com Iptables
  • Firewall com Pfsense
  • Segurança em Linux
  • Firewall com Modsecurity
  • Monitoramento com Zabbix
  • Monitoramento com Nagios
  • Cloudcomputing
  • AWS Básico
  • Docker
  • DNS Bind 9
  • Nginx
  • Mysql Tunning
  • Samba 4
  • Squid Proxy
  • Zimbra E-Mail
  • Bacula Backup
  • Apache Web Server
Agarre essa grande oportunidade de se tornar um engenheiro de software em Linux,investindo menos de R$1,63 por dia.

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Tenha o controle da sua rede

Implantar uma ferramenta de monitoramento para um servidor, rede ou dispositivo pode se tornar caro e complexo. O mercado tem diversas soluções de serviços contratados que acabam sendo custosos em longo prazo, e existem soluções em software mais simples e eficientes que podem trazer bons resultados com profissionais de TI bem treinados. Um bom exemplo entre esses serviços é o Zabbix.

Nesse post você vai conhecer um pouco mais sobre o Zabbix, como ele trabalha com o monitoramento de servidores, e entender porque é importante saber como aproveitar esse software. Acompanhe!

O que é Zabbix?

Zabbix é uma ferramenta open source que funciona primariamente em servidores Unix-like, como os que trabalham com Linux, e é usada no monitoramento de redes e serviços, podendo fazer análises de desempenho, de experiência de usuários, e permitindo a administração do software via web.

O Zabbix também pode ser configurado para realizar o monitoramento de celulares – incluindo sistemas iOS, Android, e Windows Phone – e é interessante para serviços de TI por também conseguir realizar ações automáticas de acordo com eventos específicos, gerando métricas automáticas do sistema geral, ou apenas das máquinas monitoradas, através do uso de agentes (programas instalados nas máquinas que passam informações sobre o uso para o servidor).

Para que isso seja possível, o Zabbix trabalha com 3 principais módulos no sistema de monitoramento: o Zabbix ServerZabbix Proxy, e Zabbix Agent.

Zabbix Server

O módulo de servidor do Zabbix é a parte central do software e é o único módulo que só pode ser instalado em Linux ou sistemas Unix. É ele que coleta os dados enviados pelos agentes presentes nas máquinas e também monitora todo o tráfego da rede. O sistema que é acessado via web fica instalado no módulo Zabbix Server, e quando ele detecta algum problema ou anormalidade na rede são gerados alertas para que os problemas sejam verificados.

Para auxiliar na compreensão de falhas da rede e o que pode ser melhorado, o Zabbix Server também armazena dados sobre todas as análises feitas em um banco de dados, criando um histórico que pode gerar gráficos e painéis para informar a equipe de TI.

Zabbix Proxy

A instalação do módulo proxy do Zabbix é opcional, mas ele é quem faz o monitoramento da rede onde está instalado, coleta dados de desempenho e acesso, e envia as informações para o Zabbix Server. O módulo proxy é normalmente usado em casos quando o controle e análise de redes remotas – como filiais de uma empresa – se torna necessário, e o software pode executar suas tarefas sem que sejam necessários administradores de rede em diferentes locais.

Zabbix Agent

O Zabbix Agent é um pequeno software instalado nas máquinas que serão monitoradas. O programa acompanha o desempenho local – como uso dos discos rígidos, consumo de memória, uso do processador e erros ocorridos – e envia os dados coletados ao Zabbix Server, além de alertar a equipe em caso de algum problema.

O uso do Zabbix Agent é importante para que a empresa consiga realizar a manutenção adequada dos equipamentos, evitando custos mais altos, e que possa otimizar seus sistemas. Por ser usado em uma grande diversidade de computadores, o Zabbix Agent pode ser instalado em boa parte dos sistemas operacionais, como: Windows, OS X, Linux, Solaris, HP-UX, AIX, e outros.

Entenda como usar o Zabbix

Para garantir um aprendizado eficiente, é importante fazer cursos que preparem a equipe para o uso do Zabbix no monitoramento de uma empresa. Com uma plataforma open source, ele é aberto a alterações e funciona em diferentes tipos de sistema, oferece uma ferramenta completamente acessível via web e pode monitorar diferentes tipos de hardware.

Quer aprender a usar o Zabbix? Conheça nosso curso!

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Quanto tempo leva para tirar uma certificação?

Essa é uma pergunta fácil de responder se você sabe quanto tempo tem disponível por semana e tem disciplina para cumprir com sua agenda.

Nosso site de aulas tem uma Agenda Personalizada. Você escolhe o curso, diz quando quer começar, quantas horas tem em qual dia da semana, e o site calcula para você quanto tempo leva para aprender todo o conteúdo.

Não perca tempo, cadastre-se agora em nosso curso, e aprenda com um cronograma só seu!

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Crie um servidor de arquivos com Linux

Criar uma rede interna com servidores para compartilhamento e a distribuição de arquivos, que permita impressão remota, e consiga conversar tanto com computadores usando Windows e Linux é uma tarefa mais simples do que parece. Mas para isso, você precisa conhecer o Samba.

Nesse post você vai saber um pouco mais sobre o servidor Samba, como ele funciona, e porque ele pode ajudar empresas e pequenas redes no compartilhamento de dados. Acompanhe:

O que é o Samba?

Samba é um software open source que funciona como servidor em sistemas Linux e Unix, e facilita o compartilhamento e a distribuição de dados em redes que também se comunicam com computadores usando Windows. Como é comum sistemas de TI trabalharem com plataformas criadas para Linux, o uso do Samba se torna essencial para que seja possível transferir arquivos e realizar impressões através da rede entre esses sistemas operacionais diferentes.

Ele foi criado em 1992 pelo australiano Andrew Tridgell quando ele sentiu a necessidade de montar um espaço de disco de um servidor Unix dentro do sistema DOS – do Windows – e desde então é atualizado pela comunidade open source com novas funcionalidades, mais segurança e melhor estabilidade.

O que o Samba faz?

De maneira simples, o Samba é responsável por serviços como:

  • Acesso de arquivos e serviços de impressão;
  • Autorização e autenticação de usuários;
  • Navegação no sistema de arquivos.

Mas além de suas funções básicas, o Samba recebeu atualizações para facilitar serviços que normalmente levariam muito tempo, como o uso do DHCP, que permite ao software enviar novas configurações de rede automaticamente para todos os dispositivos conectados, evitando assim a necessidade de configuração manual.

O sistema de rede do Samba trabalha com autenticação, de forma que é possível proteger arquivos ou pastas específicas usando autorização de usuários ou senhas. Quando um arquivo é colocado na rede, também existe a opção de compartilhar os dados com pessoas específicas (no modo share), onde a senha para o acesso é enviada somente a quem pode visualizar o arquivo.

O Samba também pode ser acessado através de um navegador web, o que é feito a partir de um sistema SWAT (Samba Web Administration Tool), que pode fazer uma ligação direta do servidor com um sistema do Windows Server, e também pode ser usado como FTP com o Ubuntu. Versões atualizadas, como o Samba 4, já dispensam o sistema de servidores da Microsoft e também funcionam como um Active Directory (AD) – uma das principais opções para ambientes que só trabalham com Windows – o que ser uma boa alternativa para cortar os custos de licenças caras.

As vantagens do Samba

O Samba é muito usado em redes que se comunicam com dispositivos que trabalham com versões do Linux voltadas a usuários comuns – como o Ubuntu – e que precisam trocar arquivos com o Windows. Podemos resumir as diversas vantagens de usar o sistema em alguns tópicos:

  • É de graça: por ser um software livre, o Samba trabalha com uma licença que permite seu uso completo gratuitamente, independente do tamanho da empresa ou servidor;
  • É aberto: por fazer parte da iniciativa open source, o Samba permite grandes alterações no código, fazendo com que ele seja mais aberto a novas funcionalidades;
  • Conversa com diferentes sistemas operacionais: a característica mais básica do Samba é promover a troca de arquivos entre diferentes sistemas;
  • Permite o controle de acesso: o Samba permite a criação de usuários – ou grupos de usuários – que podem criar e acessar arquivos específicos controlados por senha.
  • Pode ser usado como FTP: no Ubuntu, o Samba pode ser usado como um servidor FTP para o controle de arquivos remotamente.

Para que seja possível aproveitar ao máximo a capacidade do Samba, é necessário entender bem como ele funciona e como explorar seu potencial. Por isso, antes de trabalhar com esse sistema é importante que a equipe de TI faça um curso e esteja bem preparada para as possibilidades que o Samba pode trazer.

Quer aprender mais sobre o Samba? Conheça nosso curso e descubra diversas possibilidades!

Ainda, aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Procurando um bom emprego?

E se eu te disser que em um ano ou menos você pode ter um salário de no mínimo R$ 2.000,00 e dependendo do seu esforço e dedicação seu ganho pode ultrapassar os R$10.000,00.

Seja um Profissional em LINUX.

Você irá gastar menos de R$1,00 por dia para ter acesso a 29 cursos fantásticos.

Não perca essa grande oportunidade de obter um “Certificado INTERNACIONAL” aceito por grandes empresas nacionais e multi-nacionais.

Vamos lá

Visite nossa página: https://www.certificacaolinux.com.br

Você pode muito mais do que pensa que pode!

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Open chat