fbpx
Whatsapp (31) 3069-8315
atendimento@certificacaolinux.com.br
Como atualizar para Ubuntu 20.04

O Ubuntu 20.04 chegou e já está agradando muito.

Esta versão do Ubuntu é uma grande atualização para usuários de desktop, servidor e nuvem.

O Ubuntu 20.04 vem com o Kernel 5.4, lançado em novembro de 2019, que trouxe um módulo especial de segurança que torna muito mais difícil o comprometimento da conta do root.

O novo Kernel também trouxe o suporte nativo ao sistema de arquivos do Windows exFAT, e ao ZFS da Oracle (se você ainda não conhece o ZFS, leia nosso artigo).

Ele também inclui um utilitário Secure Boot e autenticação multifator Fast ID Online (FIDO) Secure Shell (SSH), que permite login con segurança sem senha.

Se quer baixar a versão 20.04, use esse link.

Mas se você usa o Ubuntu 18.04, você pode fazer o upgrade usando o programa “Update Manager” no terminal, digitando o comando:

update-manager -d

image-1 Como atualizar para Ubuntu 20.04

Basta seguir o Wizard de atualização:

image-2 Como atualizar para Ubuntu 20.04

Para finalizar, é só reiniciar o sistema:

image-3 Como atualizar para Ubuntu 20.04
O que as distribuições Linux tem em comum?

Hoje são mais de 300 distribuições Linux ativas. Qual a melhor para você? Bem, a resposta é depende. Prá que você quer seu Linux mesmo?

Atualmente, um Sistema Operacional Linux ou GNU/Linux completo é uma coleção de software livre (e por vezes não-livre) criado por indivíduos, grupos e organizações de todo o mundo, incluindo o núcleo Linux.

Companhias como a Red Hat, a SuSE, e a Canonical (desenvolvedora do Ubuntu Linux), bem como projetos de comunidades como o Debian ou o Gentoo, compilam o software e fornecem um sistema completo, pronto para instalação e uso. Patrick Volkerding também fornece uma distribuição Linux, o Slackware.

As distribuições do Linux ou GNU/Linux começaram a receber uma popularidade limitada desde a segunda metade dos anos 90, como uma alternativa livre para os sistemas operacionais Microsoft Windows e Mac OS, principalmente por parte de pessoas acostumadas ao Unix na escola e no trabalho.

O sistema tornou-se popular no mercado de Desktops e servidores, principalmente para a Web e servidores de bancos de dados.

Todas elas tem o seu público e sua finalidade, desde para recuperação de sistemas danificados ou em monitoramento de redes de computadores.

Cada distribuição é, em síntese, um sistema operacional independente, de modo que os programas compilados para uma distribuição podem não rodar em outra, embora usem o mesmo núcleo (o Linux propriamente dito).

As principais diferenças entre as distribuições estão nos seus sistemas de pacotes, nas estruturas dos diretórios e na sua biblioteca básica. Por mais que a estrutura dos diretórios siga o mesmo padrão, o FSSTND é um padrão muito relaxado, principalmente em arquivos onde as configurações são diferentes entre as distribuições.

Então normalmente todos seguem o padrão FHS (File Hierarchy System), que é o padrão mais novo. Vale lembrar, entretanto, que qualquer aplicativo ou driver desenvolvido para Linux pode ser compilado em qualquer distribuição que vai funcionar da mesma maneira.

Quanto à biblioteca, é usada a biblioteca libc, contendo funções básicas para o sistema Operacional Linux. O problema é que, quando do lançamento de uma nova versão da Biblioteca libc, algumas distribuições colocam logo a nova versão, enquanto outras aguardam um pouco. Por isso, alguns programas funcionam numa distribuição e noutras não.

Existe um movimento LSB (Linux Standard Base) que proporciona uma maior padronização. Auxilia principalmente vendedores de software que não liberam para distribuição do código fonte, sem tirar características das distribuições. O sistemas de pacotes não é padronizado.

Arch LinuxDebianFedoraManjaro LinuxSolusOSSabayon,  MintopenSusePCLinuxOSPuppySlackware e Ubuntu são algumas das distribuições mais utilizadas agora, listadas aqui por ordem alfabética.

Interface com o Usuário

Uma característica que acaba resultando na diferenciação de uma Distribuição Linux é a Interface Gráfica. Algumas distribuições utilizam a interface KDE, outras utilizam interface GNOME, outras utilizam a interface XFCE, e ainda existem várias outras interfaces que podem ser utilizadas.

Servidores Virtuais para você aprender Linux

Você precisa treinar muito para passar em uma prova de certificação. Prá que perder tempo instalando várias distribuições de Linux? Aqui você tem 6 servidores virtuais da Amazon com um click.

Nossos servidores:

  • OpenSuSE 12 SP3
  • Ubuntu Server 16.04
  • Debian Stretch
  • CentOS com Systemd
  • CentOS com systemV

Aqui você tem tudo para você ter sucesso nas provas de LPI e CompTIA

Quer saber se uma certificação vale a pena ? Saiba porque os salários são bons, e porque as empresas estão procurando profissionais de Linux.

Você vai ententer que os benefícios superam de longe o sacrifício.

E se você já se decidiu, veja nosso Guia de Certificação.

E se quer saber onde fazer as provas, consulte a lista de cidade.

Se quiser saber o idioma das provas, veja esse post.

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Instalar WordPress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

WordPress 5 foi lançado recentemente com algumas mudanças fundamentais, como o editor de Gutenberg, que é maravilhoso. Neste artigo vamos configurar o WordPress 5 com o NGINX, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS

Se você quer ter um blog ou mesmo um site, o WordPress é a pedida ideal. E a versão 5 melhorou muito.

Neste artigo iremos abordar a instalação do WordPress 5 em um Linux CentOS fresquinho (sem nada instalado).

Como servidor web, iremos instalar o NGINX, que é um excelente servidor web, bem mais leve que o Apache, ideal para máquinas virtuais.

Também iremos instalar o PHP 7, que é sem dúvida a melhor opção para o WordPress, uma vez que é capaz de rodar 5x mais rápido que seu predecessor, o PHP 5.

Como banco de dados, iremos instalar o FORK Open Source do Mysql, que é o MARIA DB versão 10, que também é bem robusto e poderoso.

Update do CentOS

O primeiro passo é fazer o update do CentOS para ter certeza de que você está com as últimas atualizações e correções:

sudo yum update

Instalação do Servidor Web Nginx

Agora vamos instalar o Nginx, iniciar o serviço e em seguida habilita-lo para iniciar no boot do sistema:

sudo yum install nginx
sudo systemctl start nginx.service
sudo systemctl enable nginx.service

Se você quiser se aprofundar mais no Nginx, temos um curso de 3 horas voltado para deixar o Nginx tinindo!

Configurar o Nginx para o WordPress

Agora vamos configurar o Nginx para funcionar com o WordPress, criando o arquivo de configuração do site. Para isso vamos editar o arquivo com o vim. Você pode usar outro editor de preferir.

sudo vim /etc/nginx/conf.d/wordpress.conf

Agora cole o conteúdo abaixo no arquivo:


server {
    listen 80;
    listen [::]:80;
    root /var/www/html/wordpress;
    index  index.php index.html index.htm;
    server_name _ meusite.com.br www.meusite.com.br;

    client_max_body_size 100M;

    location / {
        try_files $uri $uri/ /index.php?$args;        
    }

    location ~ .php$ {
    include fastcgi.conf;
    fastcgi_pass             unix:/run/php-fpm/www.sock;
    fastcgi_param   SCRIPT_FILENAME $document_root$fastcgi_script_name;
    }
}

Não se esqueça de trocar o meusite.com.br e www.meusite.com.br. Se você quiser aprender mais sobre DNS, temos um curso de DNS Bind 9.

Agora edite o arquivo /etc/nginx.conf

sudo vi /etc/nginx/nginx.conf

E apague as linhas abaixo:

   server {

        listen       80 default_server;

        listen       [::]:80 default_server;

        server_name  _;

        root         /var/www/html/wordpress;

        # Load configuration files for the default server block.

        include /etc/nginx/default.d/*.conf;

        location / {

        }

        error_page 404 /404.html;

            location = /40x.html {

        }

        error_page 500 502 503 504 /50x.html;

            location = /50x.html {

        }

    }

sudo systemctl reload nginx

Instalar o MariaDB

Agora vamos instalar o MariaDB versão 10. Depois da instalação iremos iniciar o serviço e depois coloca-lo para iniciar no boot.

Se você quiser deixar o seu banco padrão MySQL super azeitado, veja nosso curso tunning de Mysql.

sudo yum install mariadb-server mariadb-client
sudo systemctl start mariadb.service
sudo systemctl enable mariadb.service

Agora, indicamos você rodar o script de segurança do MySQL. Basicamente você irá definir uma senha de root, desabilitar o acesso anônimo e remover o banco de dados de teste.

sudo mysql_secure_installation

Criar a base de dados do WordPress e usuário de acesso

Agora vamos acessar o banco de dados com a senha de root que você definiu no passo anterior, criar a base de dados e também criar o usuário do wordpress.

sudo mysql -u root -p

Agora, dentro do shell do MySQL, entre com os seguintes comandos. Não se esqueça de trocar a senha:

O usuário será: wp_user e a senha você define.

CREATE DATABASE wordpress;
CREATE USER ‘wp_user’@’localhost’ IDENTIFIED BY ‘troque_a_senha‘;
GRANT ALL ON wordpress.* TO ‘wp_user’@’localhost’ ;
FLUSH PRIVILEGES;
EXIT;

Instalar o PHP 7

Em algumas distribuições o PHP 7 pode não estar disponível no repositório padrão. Para isso, vamos habilitar o repositório do PHP 7:

wget https://mirror.webtatic.com/yum/el6/latest.rpm

sudo yum install latest.rpm

Agora vamos instalar o PHP 7 no servidor. Logo depois vamos habilitar o serviço e também colocar para iniciar no boot do sistema.

sudo yum install php-fpm php-common php-mbstring php-xmlrpc php-soap php-gd php-xml php-intl php-mysqlnd php-cli php-ldap php-zip php-curl php-opcache
sudo systemctl start php-fpm
sudo systemctl enable php-fpm

Pode ser que você tenha que alterar o sufixo dos pacotes do PHP 7, dependendo do seu Redhat. Com o comando abaixo você pode ver quais os nomes de pacotes do php estão disponíveis:

sudo yum list php*

Se você usa uma instância CentOS da Amazon, pode usar o comando abaixo para instalar o php7:

sudo amazon-linux-extras install php7.3

sudo yum install php-fpm php-common php-mbstring php-xmlrpc php-soap php-gd php-xml php-intl php-mysqlnd php-cli php-ldap php-zip php-curl php-opcache

Finalmente, instalar o WordPress 5

Agora vamos baixar a última versão do WordPress 5.

cd /tmp && wget http://wordpress.org/latest.tar.gz

sudo mkdir -p /var/www/html
sudo tar -xvzf latest.tar.gz -C /var/www/html
sudo chown apache: /var/www/html/wordpress/ -R
sudo service nginx reload

Configurar o WordPress pela primeira vez

Agora que o WordPress está instalado, é hora de configurar o acesso. Para isso, você deve acessar o servidor através do seu navegador preferido.

Coloque o endereço do seu servidor ou o IP dele. Se tudo deu certo você verá uma tela assim:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.54.13 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

Escolha Português do Brasil e clique adiante para configurar a base de dados. Troque o usuário para wp_user e coloque a senha que você escolheu ao criar o usuário wp_user.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.01 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

Feito isso, o próximo passo é configurar o Nome do Seu Site e seu usuário para entrar no wordpress.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.46 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

Agora é horá de entrar no seu WordPress:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.24 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

Voialà. Seu WordPress 5 com MariaDB 10, Nginx e PHP 7 está pronto para uso:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.38 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Instalar WordPress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

WordPress 5 foi lançado recentemente com algumas mudanças fundamentais, como o editor de Gutenberg, que é maravilhoso. Neste artigo vamos configurar o WordPress 5 com o NGINX, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9.

Se você quer ter um blog ou mesmo um site, o WordPress é a pedida ideal. E a versão 5 melhorou muito.

Neste artigo iremos abordar a instalação do WordPress 5 em um Linux Debian 9 fresquinho (sem nada instalado).

Como servidor web, iremos instalar o NGINX, que é um excelente servidor web, bem mais leve que o Apache, ideal para máquinas virtuais.

Também iremos instalar o PHP 7, que é sem dúvida a melhor opção para o WordPress, uma vez que é capaz de rodar 5x mais rápido que seu predecessor, o PHP 5.

Como banco de dados, iremos instalar o FORK Open Source do Mysql, que é o MARIA DB versão 10, que também é bem robusto e poderoso.

Update do Debian 9

O primeiro passo é fazer o update do Debian para ter certeza de que você está com as últimas atualizações e correções:

sudo apt update && sudo apt upgrade

Instalação do Servidor Web Nginx

Agora vamos instalar o Nginx, iniciar o serviço e em seguida habilita-lo para iniciar no boot do sistema:

sudo apt install nginx
sudo systemctl start nginx.service
sudo systemctl enable nginx.service

Se você quiser se aprofundar mais no Nginx, temos um curso de 3 horas voltado para deixar o Nginx tinindo!

Configurar o Nginx para o WordPress

Agora vamos configurar o Nginx para funcionar com o WordPress, criando o arquivo de configuração do site. Para isso vamos editar o arquivo com o vim. Você pode usar outro editor de preferir.

sudo vim /etc/nginx/sites-available/wordpress.conf

Agora cole o conteúdo abaixo no arquivo:


server {
    listen 80;
    listen [::]:80;
    root /var/www/html/wordpress;
    index  index.php index.html index.htm;
    server_name _ meusite.com.br www.meusite.com.br;

    client_max_body_size 100M;

    location / {
        try_files $uri $uri/ /index.php?$args;        
    }

    location ~ .php$ {
    include snippets/fastcgi-php.conf;
    fastcgi_pass             unix:/var/run/php/php7.2-fpm.sock;
    fastcgi_param   SCRIPT_FILENAME $document_root$fastcgi_script_name;
    }
}

Não se esqueça de trocar o meusite.com.br e www.meusite.com.br. Se você quiser aprender mais sobre DNS, temos um curso de DNS Bind 9.

Agora, vamos criar o link simbólico do arquivo de configuração, e também apagar a configuração de site padrão:

sudo ln -s /etc/nginx/sites-available/wordpress.conf /etc/nginx/sites-enabled/

sudo rm /etc/nginx/sites-available/default

sudo systemctl reload nginx

Instalar o MariaDB

Agora vamos instalar o MariaDB versão 10. Depois da instalação iremos iniciar o serviço e depois coloca-lo para iniciar no boot.

Se você quiser deixar o seu banco padrão MySQL super azeitado, veja nosso curso tunning de Mysql.

sudo apt install mariadb-server mariadb-client
sudo systemctl start mariadb.service
sudo systemctl enable mariadb.service

Agora, indicamos você rodar o script de segurança do MySQL. Basicamente você irá definir uma senha de root, desabilitar o acesso anônimo e remover o banco de dados de teste.

sudo mysql_secure_installation

Criar a base de dados do WordPress e usuário de acesso

Agora vamos acessar o banco de dados com a senha de root que você definiu no passo anterior, criar a base de dados e também criar o usuário do wordpress.

sudo mysql -u root -p

Agora, dentro do shell do MySQL, entre com os seguintes comandos. Não se esqueça de trocar a senha:

O usuário será: wp_user e a senha você define.

CREATE DATABASE wordpress;
CREATE USER ‘wp_user’@’localhost’ IDENTIFIED BY ‘troque_a_senha‘;
GRANT ALL ON wordpress.* TO ‘wp_user’@’localhost’ ;
FLUSH PRIVILEGES;
EXIT;

Instalar o PHP 7

Agora vamos instalar o PHP 7 no servidor. Logo depois vamos habilitar o serviço e também colocar para iniciar no boot do sistema.

sudo apt install php-fpm php-common php-mbstring php-xmlrpc php-soap php-gd php-xml php-intl php-mysql php-cli php-ldap php-zip php-curl
sudo systemctl start php7.2-fpm
sudo systemctl enable php7.2-fpm

Finalmente, instalar o WordPress 5

Agora vamos baixar a última versão do WordPress 5.

cd /tmp && wget http://wordpress.org/latest.tar.gz
sudo tar -xvzf latest.tar.gz -C /var/www/html
sudo chown www-data: /var/www/html/wordpress/ -R
sudo service nginx reload

Configurar o WordPress pela primeira vez

Agora que o WordPress está instalado, é hora de configurar o acesso. Para isso, você deve acessar o servidor através do seu navegador preferido.

Coloque o endereço do seu servidor ou o IP dele. Se tudo deu certo você verá uma tela assim:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.54.13 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

Escolha Português do Brasil e clique adiante para configurar a base de dados. Troque o usuário para wp_user e coloque a senha que você escolheu ao criar o usuário wp_user.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.01 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

Feito isso, o próximo passo é configurar o Nome do Seu Site e seu usuário para entrar no wordpress.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.46 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

Agora é horá de entrar no seu WordPress:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.24 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

Voialà. Seu WordPress 5 com MariaDB 10, Nginx e PHP 7 está pronto para uso:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.38 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Instalar WordPress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

WordPress 5 foi lançado recentemente com algumas mudanças fundamentais, como o editor de Gutenberg, que é maravilhoso. Neste artigo vamos configurar o WordPress 5 com o NGINX, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04.

Se você quer ter um blog ou mesmo um site, o WordPress é a pedida ideal. E a versão 5 melhorou muito.

Neste artigo iremos abordar a instalação do WordPress 5 em um Linux Ubuntu 18.04 fresquinho (sem nada instalado).

Como servidor web, iremos instalar o NGINX, que é um excelente servidor web, bem mais leve que o Apache, ideal para máquinas virtuais.

Também iremos instalar o PHP 7, que é sem dúvida a melhor opção para o WordPress, uma vez que é capaz de rodar 5x mais rápido que seu predecessor, o PHP 5.

Como banco de dados, iremos instalar o FORK Open Source do Mysql, que é o MARIA DB versão 10, que também é bem robusto e poderoso.

Update do Ubuntu

O primeiro passo é fazer o update do Ubuntu para ter certeza de que você está com as últimas atualizações e correções:

sudo apt update && sudo apt upgrade

Instalação do Servidor Web Nginx

Agora vamos instalar o Nginx, iniciar o serviço e em seguida habilita-lo para iniciar no boot do sistema:

sudo apt install nginx
sudo systemctl start nginx.service
sudo systemctl enable nginx.service

Se você quiser se aprofundar mais no Nginx, temos um curso de 3 horas voltado para deixar o Nginx tinindo!

Configurar o Nginx para o WordPress

Agora vamos configurar o Nginx para funcionar com o WordPress, criando o arquivo de configuração do site. Para isso vamos editar o arquivo com o vim. Você pode usar outro editor de preferir.

sudo vim /etc/nginx/sites-available/wordpress.conf

Agora cole o conteúdo abaixo no arquivo:


server {
    listen 80;
    listen [::]:80;
    root /var/www/html/wordpress;
    index  index.php index.html index.htm;
    server_name _ meusite.com.br www.meusite.com.br;

    client_max_body_size 100M;

    location / {
        try_files $uri $uri/ /index.php?$args;        
    }

    location ~ \.php$ {
    include snippets/fastcgi-php.conf;
    fastcgi_pass             unix:/var/run/php/php7.2-fpm.sock;
    fastcgi_param   SCRIPT_FILENAME $document_root$fastcgi_script_name;
    }
}

Não se esqueça de trocar o meusite.com.br e www.meusite.com.br. Se você quiser aprender mais sobre DNS, temos um curso de DNS Bind 9.

Agora, vamos criar o link simbólico do arquivo de configuração, e também apagar a configuração de site padrão:

sudo ln -s /etc/nginx/sites-available/wordpress.conf /etc/nginx/sites-enabled/

sudo rm /etc/nginx/sites-available/default

sudo systemctl reload nginx

Instalar o MariaDB

Agora vamos instalar o MariaDB versão 10. Depois da instalação iremos iniciar o serviço e depois coloca-lo para iniciar no boot.

Se você quiser deixar o seu banco padrão MySQL super azeitado, veja nosso curso tunning de Mysql.

sudo apt install mariadb-server mariadb-client
sudo systemctl start mariadb.service
sudo systemctl enable mariadb.service

Agora, indicamos você rodar o script de segurança do MySQL. Basicamente você irá definir uma senha de root, desabilitar o acesso anônimo e remover o banco de dados de teste.

sudo mysql_secure_installation

Criar a base de dados do WordPress e usuário de acesso

Agora vamos acessar o banco de dados com a senha de root que você definiu no passo anterior, criar a base de dados e também criar o usuário do wordpress.

sudo mysql -u root -p

Agora, dentro do shell do MySQL, entre com os seguintes comandos. Não se esqueça de trocar a senha:

O usuário será: wp_user e a senha você define.

CREATE DATABASE wordpress;
CREATE USER ‘wp_user’@’localhost’ IDENTIFIED BY ‘troque_a_senha‘;
GRANT ALL ON wordpress.* TO ‘wp_user’@’localhost’ ;
FLUSH PRIVILEGES;
EXIT;

Instalar o PHP 7

Agora vamos instalar o PHP 7 no servidor. Logo depois vamos habilitar o serviço e também colocar para iniciar no boot do sistema.

sudo apt install php-fpm php-common php-mbstring php-xmlrpc php-soap php-gd php-xml php-intl php-mysql php-cli php-ldap php-zip php-curl
sudo systemctl start php7.2-fpm
sudo systemctl enable php7.2-fpm

Finalmente, instalar o WordPress 5

Agora vamos baixar a última versão do WordPress 5.

cd /tmp && wget http://wordpress.org/latest.tar.gz
sudo tar -xvzf latest.tar.gz -C /var/www/html
sudo chown www-data: /var/www/html/wordpress/ -R
sudo service nginx reload

Configurar o WordPress pela primeira vez

Agora que o WordPress está instalado, é hora de configurar o acesso. Para isso, você deve acessar o servidor através do seu navegador preferido.

Coloque o endereço do seu servidor ou o IP dele. Se tudo deu certo você verá uma tela assim:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.54.13 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

Escolha Português do Brasil e clique adiante para configurar a base de dados. Troque o usuário para wp_user e coloque a senha que você escolheu ao criar o usuário wp_user.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.01 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

Feito isso, o próximo passo é configurar o Nome do Seu Site e seu usuário para entrar no wordpress.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.46 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

Agora é horá de entrar no seu WordPress:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.24 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

Voialà. Seu WordPress 5 com MariaDB 10, Nginx e PHP 7 está pronto para uso:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.38 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

5 Melhores distribuições de Linux para novos usuários

Deepin

deepin 5 Melhores distribuições de Linux para novos usuários

O Deepin é o Linux que escolhi para o Desktop do meu filho de 11 anos. Como vantagens posso destacar:

  • Interface simples da área de trabalho;
  • Layout parecido com Android
  • App Store bem completa e simples de usar;
  • Painel de controle simples de usar;
  • Instalação também é simples

Ubuntu

ubuntu_1 5 Melhores distribuições de Linux para novos usuários

Pessoalmente nunca gostei do Ubuntu. Mas essa é minha opinião como usuário avançado, simplesmente porque ele não obedece muito o padrão Linux Standard.

Alguns arquivos de configuração não estão onde deviam, ou mesmo o conteúdo deles difere do que foi convencionado.

Mas isso não quer dizer que ele não seja bom para novos usuários. De fato, ele é bom para novos usuários e é exatamente por isso que é bem comum em máquinas de novos usuários.

Como vantagens podemos destacar:

  • conhecimento do Linux simplesmente não é necessário para se trabalhar no ambiente gráfico;
  • Adota o GNOME como interface;
  • Simplicidade;
  • Requer um hardware com memória e roda melhor em discos SSD;
  • Também tem sua Software Store, com muitos apps que podem ser instalados sem dificuldade;

Elementary OS

elementaryos_0 5 Melhores distribuições de Linux para novos usuários

Esse sistema é para quem usa o MAC ou gosta do sistema da Apple, como eu – e antes que digam que eu não uso Linux, o Mac OS é um Unix like.

Como vantagens, podemos citar:

  • Parece com o MAC;
  • Lembra muito pouco o Linux 😀
  • Menu de aplicativos simples;
  • Também tem uma App Store bem completa;
  • Bem leve, roda em máquinas com hardware mais humildes;
  • É baseado no Ubuntu, mas somente com o essencial.

Mint

linuxmint 5 Melhores distribuições de Linux para novos usuários

É uma distribuição muito leve, que roda em hardwares antigos numa boa. Roda no computador Pentium II da secretária do consultório do meu pai como um foguete. Pra quem só usa o Google Agenda, tá ótimo.

Sua interface chamada Cinnamon é perfeitamente familiar para quase todos que a usam. Com uma barra de tarefas, botão Iniciar, bandeja do sistema e ícones da área de trabalho. Lembra bem o Windows.

  • Interface que requer uma curva de aprendizado nula pra quem vem de Windows 7.
  • Baseado no Ubuntu;

OpenSuse

opensuse 5 Melhores distribuições de Linux para novos usuários

Sou fã do OpenSuse de carteirinha desde 1999. É uma distribuição fantástica baseada no Red Hat.

Uma das maiores vantagens de usar o openSUSE é que você pode executar quase todos esses DEs no mesmo sistema operacional.

Você pode escolher qualquer IDE desejado na tela de login. Eles fazem jus ao símbolo de Camaleão.

Muito antes de existir o apt-get e o yum, o openSUSE já tinha o seu gerenciador de pacotes, o Yast.

Vantagens:

  • Pode trabalhar com qualquer interface que o usuário desejar
  • Possui também sua App Store, com muito software
  • É extremamente fiel ao padrão Linux
  • Baseada no Red Hat e usa pacotes RPM

E aí está, cinco distribuições Linux que, cada uma à sua maneira, oferecem uma experiência de desktop que qualquer usuário estaria familiarizado instantaneamente.

E ai, qua a sua distribuição preferida para novos usuários? Deixe seu comentário.

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Open chat