Lista dos principais comandos no Linux: aprenda como usá-los

Se você é iniciante no universo Linux, já deve ter ouvido falar da lista dos principais comandos Linux, com alguns nomes um pouco “assustadores”, a princípio, e funções um tanto quanto específicas. 

Mas, a verdade é que esses comandos do Linux não são tão difíceis assim para aprender e por em prática — você só precisa de um conteúdo objetivo e direto, que te ajude a entender melhor todos os comandos. 

Pensando em te ajudar, a equipe Certificação Linux desenvolveu esse artigo completo, com tudo o que você precisa saber sobre os principais comandos Linux e seu modo de utilização. Basta ler até o final. Acompanhe!

Como usar os principais comandos do Linux:

Antes de começar a usar os principais comandos Linux, é preciso entender como usá-los e como eles funcionam, de fato. Afinal, é impossível aplicar algo que você não sabe nem mesmo a finalidade, não acha?

Assim, saiba que os comandos do Linux em sua maioria são em formato de texto, inseridos em um terminal de leitura do sistema operacional. 

Ao inserir os comandos certos, específicos para cada função, ações podem ser realizadas de modo automático, facilitando o trabalho de quem usa o Linux no seu dia a dia. 

Comando nano

O primeiro comando a ser aprendido pelos iniciantes no universo Linux é o comando nano. Esse comando se assemelha muito ao bloco de notas, presente no sistema operacional Windows, mas é destinado exclusivamente ao terminal do Linux, onde todos os comandos são acionados. 

O nano funciona como um “mini” editor de texto, com funções específicas dentro dele. Com ele, é possível abrir e ler arquivos, como textos, verificar a ortografia da peça, recortar e colar trechos, fazer buscas por termos específicos e outras funções secundárias. 

Cada um desses subcomandos é ativado com a seleção da tecla control (“ctrl”) e a letra que representa a função desejada. 

O próprio comando nano exibe um painel com as letras e suas ações correspondentes, de modo que o usuário apenas selecione. As combinações são:

  • Control e X: pressione para sair da edição. Assim como em outros editores de texto, o nano perguntará se você deseja salvar o arquivo ou não;
  • Control e G: abre uma tela de ajuda do próprio nano e a lista de comandinhos;
  • Control e O: usado para escrever no arquivo;
  • Control e J: tem a função de justificar o texto;
  • Control e R: ler um arquivo diferente, permitindo que você adicione fragmentos de texto dele no seu arquivo principal, que está aberto no nano;
  • Control e W: localizar um termo dentro do texto;
  • Control e K: responsável por recortar o texto;
  • Control e U: cola o texto recortado;
  • Control e C: Mostra a posição atual do cursor.
  • Control e T: checa a ortografia do texto todo;
  • Control e S: responsável por salvar o arquivo;
  • Control e A: direcionar o ponteiro do mouse para o começo da linha;
  • Control e E: direcionar o ponteiro do mouse para o final da linha;

Em resumo, o comando nano no Linux tem a função de editar arquivos em texto pelo terminal.

Comando watch

De modo simples, o comando watch repete a execução de um outro comando de modo periódico. Com ele, você não precisa executar esses comandos manualmente, de tempos em tempos.

O comando watch também apresenta letras com subcomandos para configurar a estrutura de repetição desejada. Os principais, são:

  • -d, que torna informa o que mudou a cada atualização;
  • -n X, responsável por definir o intervalo de repetição em X segundos;
  • -t; que desabilita o cabeçalho;
  • -g; cuja função é terminar de executar se a saída do comando se alterar. 

Comando script

Esse é o responsável por roteirizar ou criar uma estrutura de execução de comandos inseridos no shell do Linux, com a possibilidade de inserir ou não um intervalo de tempo entre as execuções. 

Assim, o comando script pode ser uma “mão na roda” de quem precisa documentar e registrar todo o processo de instalação de um software ou aplicativo, para que posteriormente seja possível verificar o caminho seguido.

Para criá-lo e iniciá-lo, basta executar este caminho: 

  • $ script arquivo.log

Comando cd

O comando cd no Linux tem uma função bem simples: mostrar ou mudar o diretório em que um arquivo se encontra. Com ele, o inverso também pode ser feito: insira o caminho de um arquivo e abra-o. 

Para isso, basta inserir:

  • cd imagens/ (caso você tenha uma pasta com esse nome no computador, ele entrará nela);
  • para acessar um arquivo dentro dessa pasta, basta acrescentar cd imagens/subpasta/nome-do-arquivo (assim, você acessa o arquivo dentro da pasta imagens);

Comando ls

Em contrapartida, o comando ls é responsável por listar os arquivos existentes, filtrando o resultado da busca pela letra ou caractere inicial dos arquivos.

Esse recurso é interessante pois mostra de modo claro quais são todos os arquivos presentes no seu computador. 

Também é possível adicionar outros filtros à pesquisa, como separar por vírgulas, mostrar por colunas e até mesmo diferenciar os arquivos por cor. 

Alguns comandos, são:

  • –color=auto, que separa os arquivos por cor;
  • -a, –all, que apresenta todos os arquivos, mesmo aqueles escondidos;
  • -A, –almost-all, que apresenta quase todos os arquivos, menos as entradas “.” e “..”
  • -m, que faz uma lista de todos os arquivos separados por vírgula.

Comando rm

O comando rm é responsável por remover arquivos e diretórios, conforme a sua permissão como usuário. Para isso, existem os subcomandos:

  • -f, que remove arquivos sem questionar ao usuário;
  • -r, -R, que remove tanto o diretório quanto seu conteúdo;
  • -i, que pede a autorização do usuário antes de remover;
  • -d, –dir, responsável por remover diretórios vazios;

Comando find

Para localizar arquivos, basta utilizar o comando find. Ao executá-lo, é preciso informar qual o local início da sua busca, ou seja, de onde você deseja que o comando comece a ser executado. 

A sintaxe base de busca é a seguinte: 

  • find [caminho] [expressão]

Comando grep

O comando grep é responsável por buscar palavras ou termos dentro de todos os arquivos com formato de texto do sistema, a fim de apresentar o conteúdo buscado. 

Para ativá-lo, é preciso usar a sintaxe: 

  • grep [opções] regex [arquivos];
  • ou: comando | grep [opções] regex.

“Opções” são os filtros que você deseja adicionar ao comando, para uma busca mais seletiva, enquanto que “arquivos” são os nomes dos arquivos que você deseja encontrar. 

Comando chmod

Por fim, o comando chmod pode alterar todos os acessos de usuários para alterar e visualizar arquivos do sistema. 

Existe uma hierarquia entre quem cria o arquivo, quem tem acesso para editar e quem pode apenas visualizar, sem alterar nada. Dentro desse comando, existem vários sub comandos que alteram essas configurações, como:

  • Chmod 644;
  • Chmod 755;
  • e Chmod 555.

Cada um deles pode ser aplicado na prática para mudar o acesso de usuários a determinados arquivos do sistema. 

Aprofunde seus conhecimentos em Linux com o nosso curso online! Matricule-se agora!

Conclusão

principais-comandos-linux-praticos Lista dos principais comandos no Linux: aprenda como usá-los
Foto: Freepik | Principais comandos do Linux que facilitam o dia a dia. 

Apesar de apresentar diversos termos técnicos e sintaxes de execução, os principais comandos do Linux são simples de entender e aprender — ainda mais de executar. 

Para ter sucesso no universo Linux, o segredo está em ter acesso a um bom conteúdo, com um bom professor. 

É isso o que acontece aqui na Certificação Linux: temos vários cursos ricos em conteúdo para diferentes níveis de aprendizado e objetivos, todos ministrados pelo professor Uirá Ribeiro, que tem mais de 23 anos de carreira. Vale a pena conferir!