Interfaces gráficas do Linux

Desktops Gráficos 

No seu nascedouro o Linux era um simples shell no padrão Unix, e foi assim por muito tempo. Era algo para feito por programadores para programadores, então ser amigável e bonito não era um requisito importante.

Mas há 5 anos essa narrativa deu lugar a um sistema operacional bonito, com uma variedade de ambientes gráficos e aplicativos de primeira, culminando numa experiência Desktop completa, com tudo que um usuário inexperiente possa ter a mão para trabalhar, se comunicar e divertir.

Sem dúvida uma das belezas do Linux é a sua pluralidade de ambientes gráficos para todos os gostos, através de inúmeras distribuições e ainda assim manter toda a conformidade de ser um sistema operacional padrão.

Ao longo do tempo diversos ambientes gráficos foram construídos para funcionar no servidor de janelas do Linux.

Dentre eles, podemos citar os ambientes KDE, GNOME, XFCE e Cinnamon.

KDE

O KDE é uma grande comunidade de desenvolvedores desde 1996 que desenvolvem um ambiente gráfico multiplataforma conhecido como KDE Plasma. Seu nome deriva de K Desktop Environment, e a letra “K” foi escolhida simplesmente porque vem depois de “L” de Linux. O KDE e seus aplicativos são escritos com o framework Qt.

O objetivo da comunidade KDE é tanto providenciar um ambiente que ofereça os aplicativos e funcionalidades básicas para as necessidades diária quanto permitir que os desenvolvedores tenham todas as ferramentas e documentação necessárias para simplificar o desenvolvimento de aplicativos para a plataforma.

O KDE se baseia no princípio da facilidade de uso e da personalização. Todos os elementos do ambiente gráfico podem ser personalizados: painéis, botões das janelas, menus e elementos diversos como relógios, calculadoras e miniaplicativos. A extrema flexibilidade para personalização da aparência permite até que temas sejam compartilhados pelos usuários. 

O gerenciador de janelas KWin é responsável por fornecer uma interface gráfica organizada e consistente, e barra de tarefas intuitiva.

kde1_pt Interfaces gráficas do LinuxFigura 1 – KDE Plasma com Tema OSX
kde2_pt Interfaces gráficas do LinuxFigura 2 – KDE Plasma outra variação estilo OSX
kde3_pt Interfaces gráficas do LinuxFigura 3 – KDE Plasma estilo Windows

GNOME

O GNOME (acrônimo para GNU Network Object Model Environment) é um projeto de software livre para ambiente gráfico também multiplataforma com ênfase especial a usabilidade, acessibilidade e internacionalização. 

O Projeto GNOME é mantido por diversas organizações e desenvolvedores e faz parte do Projeto GNU. Seu principal contribuidor e mantenedor é a Red Hat. 

O GNOME 3 é o ambiente gráfico padrão de grandes distribuições como Fedora, SUSE Linux, Debian, Ubuntu, Red Hat Enterprise, CentOS e tantos outros. 

Há ainda uma divisão do GNOME 2 conhecida como MATE, uma vez que a mudança no ambiente do GNOME 2 para o GNOME 3 foi grande, e alguns usuários simplesmente preferiram ficar com o ambiente mais parecido com o GNOME 2.

Criado por dois mexicanos em 1997, descontentes na época com a falta de software livre para o Framework Qt, utilizado para desenvolvimento de aplicações para o KDE.

Desta forma, eles preferiram utilizar o GTK (Gimp Tool Kit) como framework padrão para o desenvolvimento do GNOME, uma vez que este já era licenciado pela GPL.

O GNOME 1 e 2 seguiram a tradicional área de trabalho com “barra de tarefas”.

O GNOME 3 mudou isso com o GNOME Shell, com um ambiente abstrato onde a alternância entre diferentes tarefas e desktops virtuais ocorre em uma área separada chamada “Visão Geral”.

gnome1_pt Interfaces gráficas do LinuxFigura 4 – GNOME 3 no CentOS
gnome2_pt Interfaces gráficas do LinuxFigura 5 – GNOME 3 no Ubuntu
mate_pt Interfaces gráficas do LinuxFigura 6 – MATE no Linux Mint

Xfce

Xfce é um ambiente de Desktop para sistemas operacionais Unix Like, como Linux e BSD, fundado em 1996.

O Xfce tem objetivo de ser leve, rápido e visualmente atraente. Ele incorpora a filosofia Unix de modularidade e reutilização e consiste em partes separadas empacotadas que, juntas, fornecem todas as funções do ambiente de trabalho, mas podem ser selecionadas em subconjuntos para atender às necessidades e preferências do usuário.

Como no GNOME, o Xfce é baseado no framework GTK, mas é um projeto totalmente diferente.

Ele é muito utilizado em distribuições que tem a intenção de serem leves, especialmente projetadas para rodar em hardware antigos.

O Xfce pode ser instalado em diversas plataformas UNIX, tais como NetBSD, FreeBSD, OpenBSD, Solaris, Cygwin, MacOS X, etc.

Dentre as distribuições que usam o Xfce, podemos citar:

  • Linux Mint Xfce edition
  • Xubuntu
  • Manjaro
  • Arch Linux
  • Linux Lite
xfce_pt Interfaces gráficas do LinuxFigura 7 – Xfce no Linux Mint
manjaro_pt Interfaces gráficas do LinuxFigura 8 – Xfce no Linux Manjaro

Cinnamon

O Cinnamon é um projeto de desktop gráfico derivado do GNOME 2, criado pelo pessoal do Linux Mint. Sua experiência de usuário é muito parecida com o Windows XP, 2000, Vista e 7, facilitando a curva de aprendizagem de usuários que tenham migrado destes sistemas operacionais.

mate_pt Interfaces gráficas do LinuxFigura 9 – Cinnamon no Linux Mint

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode efetuar a matrícula aqui. Se você já tem uma conta, ou quer criar uma, basta entrar ou criar seu usuário aqui.

Gostou? Compartilhe