Arquivo fstab no Linux (configuração de montagem de discos) [Guia Básico]

O arquivo /etc/fstab armazena a configuração de quais dispositivos devem ser montados e qual o ponto de montagem de cada um na carga do sistema operacional, mesmo dispositivos locais e remotos.

A configuração do arquivo /etc/fstab contém os seguintes campos:

  • Dispositivo: Especifica o dispositivo a ser montado. Pode ser nome do dispositivo em /dev, UUID ou LABEL;
  • Ponto de Montagem: Especifica o diretório em que o dispositivo será montado;
  • Tipo de Sistema de Arquivos: Especifica o tipo de sistema de arquivos a ser montado;
  • Opções de Montagem: Especifica as opções de montagem dependendo do tipo de sistema de arquivos;
  • Frequência de Backup: O programa dump consulta o arquivo para saber a frequência de Backup. É um campo numérico, onde 1 é para sistemas ext2 e 0 para outros;
  • Checagem de Disco: determina se o dispositivo deve ou não ser checado na carga do sistema pelo fsck. É um campo numérico, onde 0 é para não ser checado, 1 é para ser checado primeiro (sistema raiz) e 2 para checar depois do sistema raiz.

Os campos podem ser separados por espaço simples, ou TAB.

Cada linha no /etc/fstab deve ser um ponto de montagem separado e deve obrigatoriamente conter todos esses campos para que o registro no /etc/fstab esteja correto.

Os tipos de sistema de arquivos mais comuns são: ext2, ext3, ext4, reiserfs, xfs, btrfs, vfat, iso9660, nfs, swap, etc.

As opções de montagem disponíveis são:

Opção Descrição
autoHabilita que o dispositivo seja montado na carga do sistema operacional.
noautoDesabilita que o dispositivo seja montado na carga do sistema operacional.
roMonta o sistema de arquivos como somente leitura.
rwMonta o sistema de arquivos para leitura e gravação.
execHabilita a execução de arquivos no sistema de arquivos especificado.
noexecDesabilita a execução de arquivos.
userPossibilita que qualquer usuário monte o dispositivo.
nouserSomente o superusuário pode montar e desmontar o dispositivo.
syncHabilita a transferência de dados síncrona no dispositivo.
asyncHabilita a transferência de dados assíncrona no dispositivo.
devDispositivo especial de caracteres.
suidHabilita que os executáveis tenham bits do suid e sgid e executem como se fosse o superusuário.
nosuidDesabilita que os executáveis tenham bits do suid e sgid.
defaultsConfigura as opções de montagem como rw, suid, exec, auto, nouser e async.

Exemplo de /etc/fstab:

$ cat /etc/fstab 
UUID=8a9e0fcb-f415-4a3f-931d-919fadf8e22c / xfs    defaults 0 1 /dev/xvdf                                /home ext4 defaults 0 1 /dev/xvdg                                  swap swap defaults 0 0

Neste exemplo, o dispositivo que foi montado como raiz uma a notação UUID, tem o sistema de arquivos xfs, com opções padrão. Um outro disco /dev/xvdf foi montado como diretório /home do sistema, usando o ext4.

E ainda, o /etc/fstab contém informação da partição usada como swap. Neste caso o ponto de montagem será swap, bem como o tipo também será swap. Desta forma, quando o computador reiniciar, a partição de swap será habilitada automaticamente com o comando “swapon”.

Relembre que o comando mount com a opção -a remonta todos os dispositivos configurados no /etc/fstab.

É comum usar o UUID dos discos no /etc/fstab de forma a evitar que o nome do disco em /dev/ seja alterado devido alguma mudança no hardware, como por exemplo a inserção de um novo disco.

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode efetuar a matrícula aqui. Se você já tem uma conta, ou quer criar uma, basta entrar ou criar seu usuário aqui.

Gostou? Compartilhe