fbpx
Whatsapp (31) 3069-8315
atendimento@certificacaolinux.com.br
Instalar WordPress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

WordPress 5 foi lançado recentemente com algumas mudanças fundamentais, como o editor de Gutenberg, que é maravilhoso. Neste artigo vamos configurar o WordPress 5 com o NGINX, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS

Se você quer ter um blog ou mesmo um site, o WordPress é a pedida ideal. E a versão 5 melhorou muito.

Neste artigo iremos abordar a instalação do WordPress 5 em um Linux CentOS fresquinho (sem nada instalado).

Como servidor web, iremos instalar o NGINX, que é um excelente servidor web, bem mais leve que o Apache, ideal para máquinas virtuais.

Também iremos instalar o PHP 7, que é sem dúvida a melhor opção para o WordPress, uma vez que é capaz de rodar 5x mais rápido que seu predecessor, o PHP 5.

Como banco de dados, iremos instalar o FORK Open Source do Mysql, que é o MARIA DB versão 10, que também é bem robusto e poderoso.

Update do CentOS

O primeiro passo é fazer o update do CentOS para ter certeza de que você está com as últimas atualizações e correções:

sudo yum update

Instalação do Servidor Web Nginx

Agora vamos instalar o Nginx, iniciar o serviço e em seguida habilita-lo para iniciar no boot do sistema:

sudo yum install nginx
sudo systemctl start nginx.service
sudo systemctl enable nginx.service

Se você quiser se aprofundar mais no Nginx, temos um curso de 3 horas voltado para deixar o Nginx tinindo!

Configurar o Nginx para o WordPress

Agora vamos configurar o Nginx para funcionar com o WordPress, criando o arquivo de configuração do site. Para isso vamos editar o arquivo com o vim. Você pode usar outro editor de preferir.

sudo vim /etc/nginx/conf.d/wordpress.conf

Agora cole o conteúdo abaixo no arquivo:


server {
    listen 80;
    listen [::]:80;
    root /var/www/html/wordpress;
    index  index.php index.html index.htm;
    server_name _ meusite.com.br www.meusite.com.br;

    client_max_body_size 100M;

    location / {
        try_files $uri $uri/ /index.php?$args;        
    }

    location ~ .php$ {
    include fastcgi.conf;
    fastcgi_pass             unix:/run/php-fpm/www.sock;
    fastcgi_param   SCRIPT_FILENAME $document_root$fastcgi_script_name;
    }
}

Não se esqueça de trocar o meusite.com.br e www.meusite.com.br. Se você quiser aprender mais sobre DNS, temos um curso de DNS Bind 9.

Agora edite o arquivo /etc/nginx.conf

sudo vi /etc/nginx/nginx.conf

E apague as linhas abaixo:

   server {

        listen       80 default_server;

        listen       [::]:80 default_server;

        server_name  _;

        root         /var/www/html/wordpress;

        # Load configuration files for the default server block.

        include /etc/nginx/default.d/*.conf;

        location / {

        }

        error_page 404 /404.html;

            location = /40x.html {

        }

        error_page 500 502 503 504 /50x.html;

            location = /50x.html {

        }

    }

sudo systemctl reload nginx

Instalar o MariaDB

Agora vamos instalar o MariaDB versão 10. Depois da instalação iremos iniciar o serviço e depois coloca-lo para iniciar no boot.

Se você quiser deixar o seu banco padrão MySQL super azeitado, veja nosso curso tunning de Mysql.

sudo yum install mariadb-server mariadb-client
sudo systemctl start mariadb.service
sudo systemctl enable mariadb.service

Agora, indicamos você rodar o script de segurança do MySQL. Basicamente você irá definir uma senha de root, desabilitar o acesso anônimo e remover o banco de dados de teste.

sudo mysql_secure_installation

Criar a base de dados do WordPress e usuário de acesso

Agora vamos acessar o banco de dados com a senha de root que você definiu no passo anterior, criar a base de dados e também criar o usuário do wordpress.

sudo mysql -u root -p

Agora, dentro do shell do MySQL, entre com os seguintes comandos. Não se esqueça de trocar a senha:

O usuário será: wp_user e a senha você define.

CREATE DATABASE wordpress;
CREATE USER ‘wp_user’@’localhost’ IDENTIFIED BY ‘troque_a_senha‘;
GRANT ALL ON wordpress.* TO ‘wp_user’@’localhost’ ;
FLUSH PRIVILEGES;
EXIT;

Instalar o PHP 7

Em algumas distribuições o PHP 7 pode não estar disponível no repositório padrão. Para isso, vamos habilitar o repositório do PHP 7:

wget https://mirror.webtatic.com/yum/el6/latest.rpm

sudo yum install latest.rpm

Agora vamos instalar o PHP 7 no servidor. Logo depois vamos habilitar o serviço e também colocar para iniciar no boot do sistema.

sudo yum install php-fpm php-common php-mbstring php-xmlrpc php-soap php-gd php-xml php-intl php-mysqlnd php-cli php-ldap php-zip php-curl php-opcache
sudo systemctl start php-fpm
sudo systemctl enable php-fpm

Pode ser que você tenha que alterar o sufixo dos pacotes do PHP 7, dependendo do seu Redhat. Com o comando abaixo você pode ver quais os nomes de pacotes do php estão disponíveis:

sudo yum list php*

Se você usa uma instância CentOS da Amazon, pode usar o comando abaixo para instalar o php7:

sudo amazon-linux-extras install php7.3

sudo yum install php-fpm php-common php-mbstring php-xmlrpc php-soap php-gd php-xml php-intl php-mysqlnd php-cli php-ldap php-zip php-curl php-opcache

Finalmente, instalar o WordPress 5

Agora vamos baixar a última versão do WordPress 5.

cd /tmp && wget http://wordpress.org/latest.tar.gz

sudo mkdir -p /var/www/html
sudo tar -xvzf latest.tar.gz -C /var/www/html
sudo chown apache: /var/www/html/wordpress/ -R
sudo service nginx reload

Configurar o WordPress pela primeira vez

Agora que o WordPress está instalado, é hora de configurar o acesso. Para isso, você deve acessar o servidor através do seu navegador preferido.

Coloque o endereço do seu servidor ou o IP dele. Se tudo deu certo você verá uma tela assim:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.54.13 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

Escolha Português do Brasil e clique adiante para configurar a base de dados. Troque o usuário para wp_user e coloque a senha que você escolheu ao criar o usuário wp_user.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.01 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

Feito isso, o próximo passo é configurar o Nome do Seu Site e seu usuário para entrar no wordpress.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.46 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

Agora é horá de entrar no seu WordPress:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.24 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

Voialà. Seu WordPress 5 com MariaDB 10, Nginx e PHP 7 está pronto para uso:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.38 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no CentOS ou Redhat

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Instalar WordPress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

WordPress 5 foi lançado recentemente com algumas mudanças fundamentais, como o editor de Gutenberg, que é maravilhoso. Neste artigo vamos configurar o WordPress 5 com o NGINX, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9.

Se você quer ter um blog ou mesmo um site, o WordPress é a pedida ideal. E a versão 5 melhorou muito.

Neste artigo iremos abordar a instalação do WordPress 5 em um Linux Debian 9 fresquinho (sem nada instalado).

Como servidor web, iremos instalar o NGINX, que é um excelente servidor web, bem mais leve que o Apache, ideal para máquinas virtuais.

Também iremos instalar o PHP 7, que é sem dúvida a melhor opção para o WordPress, uma vez que é capaz de rodar 5x mais rápido que seu predecessor, o PHP 5.

Como banco de dados, iremos instalar o FORK Open Source do Mysql, que é o MARIA DB versão 10, que também é bem robusto e poderoso.

Update do Debian 9

O primeiro passo é fazer o update do Debian para ter certeza de que você está com as últimas atualizações e correções:

sudo apt update && sudo apt upgrade

Instalação do Servidor Web Nginx

Agora vamos instalar o Nginx, iniciar o serviço e em seguida habilita-lo para iniciar no boot do sistema:

sudo apt install nginx
sudo systemctl start nginx.service
sudo systemctl enable nginx.service

Se você quiser se aprofundar mais no Nginx, temos um curso de 3 horas voltado para deixar o Nginx tinindo!

Configurar o Nginx para o WordPress

Agora vamos configurar o Nginx para funcionar com o WordPress, criando o arquivo de configuração do site. Para isso vamos editar o arquivo com o vim. Você pode usar outro editor de preferir.

sudo vim /etc/nginx/sites-available/wordpress.conf

Agora cole o conteúdo abaixo no arquivo:


server {
    listen 80;
    listen [::]:80;
    root /var/www/html/wordpress;
    index  index.php index.html index.htm;
    server_name _ meusite.com.br www.meusite.com.br;

    client_max_body_size 100M;

    location / {
        try_files $uri $uri/ /index.php?$args;        
    }

    location ~ .php$ {
    include snippets/fastcgi-php.conf;
    fastcgi_pass             unix:/var/run/php/php7.2-fpm.sock;
    fastcgi_param   SCRIPT_FILENAME $document_root$fastcgi_script_name;
    }
}

Não se esqueça de trocar o meusite.com.br e www.meusite.com.br. Se você quiser aprender mais sobre DNS, temos um curso de DNS Bind 9.

Agora, vamos criar o link simbólico do arquivo de configuração, e também apagar a configuração de site padrão:

sudo ln -s /etc/nginx/sites-available/wordpress.conf /etc/nginx/sites-enabled/

sudo rm /etc/nginx/sites-available/default

sudo systemctl reload nginx

Instalar o MariaDB

Agora vamos instalar o MariaDB versão 10. Depois da instalação iremos iniciar o serviço e depois coloca-lo para iniciar no boot.

Se você quiser deixar o seu banco padrão MySQL super azeitado, veja nosso curso tunning de Mysql.

sudo apt install mariadb-server mariadb-client
sudo systemctl start mariadb.service
sudo systemctl enable mariadb.service

Agora, indicamos você rodar o script de segurança do MySQL. Basicamente você irá definir uma senha de root, desabilitar o acesso anônimo e remover o banco de dados de teste.

sudo mysql_secure_installation

Criar a base de dados do WordPress e usuário de acesso

Agora vamos acessar o banco de dados com a senha de root que você definiu no passo anterior, criar a base de dados e também criar o usuário do wordpress.

sudo mysql -u root -p

Agora, dentro do shell do MySQL, entre com os seguintes comandos. Não se esqueça de trocar a senha:

O usuário será: wp_user e a senha você define.

CREATE DATABASE wordpress;
CREATE USER ‘wp_user’@’localhost’ IDENTIFIED BY ‘troque_a_senha‘;
GRANT ALL ON wordpress.* TO ‘wp_user’@’localhost’ ;
FLUSH PRIVILEGES;
EXIT;

Instalar o PHP 7

Agora vamos instalar o PHP 7 no servidor. Logo depois vamos habilitar o serviço e também colocar para iniciar no boot do sistema.

sudo apt install php-fpm php-common php-mbstring php-xmlrpc php-soap php-gd php-xml php-intl php-mysql php-cli php-ldap php-zip php-curl
sudo systemctl start php7.2-fpm
sudo systemctl enable php7.2-fpm

Finalmente, instalar o WordPress 5

Agora vamos baixar a última versão do WordPress 5.

cd /tmp && wget http://wordpress.org/latest.tar.gz
sudo tar -xvzf latest.tar.gz -C /var/www/html
sudo chown www-data: /var/www/html/wordpress/ -R
sudo service nginx reload

Configurar o WordPress pela primeira vez

Agora que o WordPress está instalado, é hora de configurar o acesso. Para isso, você deve acessar o servidor através do seu navegador preferido.

Coloque o endereço do seu servidor ou o IP dele. Se tudo deu certo você verá uma tela assim:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.54.13 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

Escolha Português do Brasil e clique adiante para configurar a base de dados. Troque o usuário para wp_user e coloque a senha que você escolheu ao criar o usuário wp_user.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.01 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

Feito isso, o próximo passo é configurar o Nome do Seu Site e seu usuário para entrar no wordpress.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.46 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

Agora é horá de entrar no seu WordPress:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.24 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

Voialà. Seu WordPress 5 com MariaDB 10, Nginx e PHP 7 está pronto para uso:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.38 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Debian 9

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Instalar WordPress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

WordPress 5 foi lançado recentemente com algumas mudanças fundamentais, como o editor de Gutenberg, que é maravilhoso. Neste artigo vamos configurar o WordPress 5 com o NGINX, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04.

Se você quer ter um blog ou mesmo um site, o WordPress é a pedida ideal. E a versão 5 melhorou muito.

Neste artigo iremos abordar a instalação do WordPress 5 em um Linux Ubuntu 18.04 fresquinho (sem nada instalado).

Como servidor web, iremos instalar o NGINX, que é um excelente servidor web, bem mais leve que o Apache, ideal para máquinas virtuais.

Também iremos instalar o PHP 7, que é sem dúvida a melhor opção para o WordPress, uma vez que é capaz de rodar 5x mais rápido que seu predecessor, o PHP 5.

Como banco de dados, iremos instalar o FORK Open Source do Mysql, que é o MARIA DB versão 10, que também é bem robusto e poderoso.

Update do Ubuntu

O primeiro passo é fazer o update do Ubuntu para ter certeza de que você está com as últimas atualizações e correções:

sudo apt update && sudo apt upgrade

Instalação do Servidor Web Nginx

Agora vamos instalar o Nginx, iniciar o serviço e em seguida habilita-lo para iniciar no boot do sistema:

sudo apt install nginx
sudo systemctl start nginx.service
sudo systemctl enable nginx.service

Se você quiser se aprofundar mais no Nginx, temos um curso de 3 horas voltado para deixar o Nginx tinindo!

Configurar o Nginx para o WordPress

Agora vamos configurar o Nginx para funcionar com o WordPress, criando o arquivo de configuração do site. Para isso vamos editar o arquivo com o vim. Você pode usar outro editor de preferir.

sudo vim /etc/nginx/sites-available/wordpress.conf

Agora cole o conteúdo abaixo no arquivo:


server {
    listen 80;
    listen [::]:80;
    root /var/www/html/wordpress;
    index  index.php index.html index.htm;
    server_name _ meusite.com.br www.meusite.com.br;

    client_max_body_size 100M;

    location / {
        try_files $uri $uri/ /index.php?$args;        
    }

    location ~ \.php$ {
    include snippets/fastcgi-php.conf;
    fastcgi_pass             unix:/var/run/php/php7.2-fpm.sock;
    fastcgi_param   SCRIPT_FILENAME $document_root$fastcgi_script_name;
    }
}

Não se esqueça de trocar o meusite.com.br e www.meusite.com.br. Se você quiser aprender mais sobre DNS, temos um curso de DNS Bind 9.

Agora, vamos criar o link simbólico do arquivo de configuração, e também apagar a configuração de site padrão:

sudo ln -s /etc/nginx/sites-available/wordpress.conf /etc/nginx/sites-enabled/

sudo rm /etc/nginx/sites-available/default

sudo systemctl reload nginx

Instalar o MariaDB

Agora vamos instalar o MariaDB versão 10. Depois da instalação iremos iniciar o serviço e depois coloca-lo para iniciar no boot.

Se você quiser deixar o seu banco padrão MySQL super azeitado, veja nosso curso tunning de Mysql.

sudo apt install mariadb-server mariadb-client
sudo systemctl start mariadb.service
sudo systemctl enable mariadb.service

Agora, indicamos você rodar o script de segurança do MySQL. Basicamente você irá definir uma senha de root, desabilitar o acesso anônimo e remover o banco de dados de teste.

sudo mysql_secure_installation

Criar a base de dados do WordPress e usuário de acesso

Agora vamos acessar o banco de dados com a senha de root que você definiu no passo anterior, criar a base de dados e também criar o usuário do wordpress.

sudo mysql -u root -p

Agora, dentro do shell do MySQL, entre com os seguintes comandos. Não se esqueça de trocar a senha:

O usuário será: wp_user e a senha você define.

CREATE DATABASE wordpress;
CREATE USER ‘wp_user’@’localhost’ IDENTIFIED BY ‘troque_a_senha‘;
GRANT ALL ON wordpress.* TO ‘wp_user’@’localhost’ ;
FLUSH PRIVILEGES;
EXIT;

Instalar o PHP 7

Agora vamos instalar o PHP 7 no servidor. Logo depois vamos habilitar o serviço e também colocar para iniciar no boot do sistema.

sudo apt install php-fpm php-common php-mbstring php-xmlrpc php-soap php-gd php-xml php-intl php-mysql php-cli php-ldap php-zip php-curl
sudo systemctl start php7.2-fpm
sudo systemctl enable php7.2-fpm

Finalmente, instalar o WordPress 5

Agora vamos baixar a última versão do WordPress 5.

cd /tmp && wget http://wordpress.org/latest.tar.gz
sudo tar -xvzf latest.tar.gz -C /var/www/html
sudo chown www-data: /var/www/html/wordpress/ -R
sudo service nginx reload

Configurar o WordPress pela primeira vez

Agora que o WordPress está instalado, é hora de configurar o acesso. Para isso, você deve acessar o servidor através do seu navegador preferido.

Coloque o endereço do seu servidor ou o IP dele. Se tudo deu certo você verá uma tela assim:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.54.13 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

Escolha Português do Brasil e clique adiante para configurar a base de dados. Troque o usuário para wp_user e coloque a senha que você escolheu ao criar o usuário wp_user.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.01 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

Feito isso, o próximo passo é configurar o Nome do Seu Site e seu usuário para entrar no wordpress.

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.55.46 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

Agora é horá de entrar no seu WordPress:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.24 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

Voialà. Seu WordPress 5 com MariaDB 10, Nginx e PHP 7 está pronto para uso:

Captura-de-Tela-2019-03-08-às-10.56.38 Instalar Wordpress 5, Nginx, MariaDB 10 e PHP 7 no Ubuntu 18.04

Aprenda muito mais sobre Linux em nosso curso online. Você pode fazer a matrícula aqui com trial de 7 dias grátis. Se você já tem uma conta, pode acessar aqui.

Gostou? Compartilhe 🙂

Criador da Web quer criar uma nova Web Descentralizada

Criador da rede mundial de computadores, Tim Berners-Lee revelou seus planos para criar uma nova web descentralizada onde os dados serão controlados pelos usuários.

Tim Berners-Lee é conhecido por criar a world wide web, ou seja, a internet que você conhece hoje. Mais de duas décadas depois, Tim está trabalhando para libertar a internet das garras dos gigantes corporativos e devolver o poder ao povo através de uma rede descentralizada.

Basicamente, o Solid é uma plataforma construída usando a web existente onde você cria ‘pods’ próprios (armazenamento de dados pessoais). Você decide onde esse pod será hospedado, quem acessará qual elemento de dados e como os dados serão compartilhados por meio desse pod. Esses Pods podem ficar em qualquer computador, e de preferência em vários, em uma rede peer-to-peer (Lembra do Napster?… pois é…)

Hoje a Internet a pesar de não ter um dono, e de estar espalhada, a Internet centralizada depende de servidores. Só que a maioria dos servidores está na mão de um punhado de empresas, como a Amazon (AWS), Microsoft (Azure), Google (Cloud), Facebook, e dentro dos Data Centers das grandes Teles.

A idéia de Berners-Lee é uma versão descentralizada dependeria de uma rede peer-to-peer construída sobre uma comunidade de usuários. Seus dispositivos conectados à Internet hospedariam a internet, não um grupo de servidores de alta potência. Cada site seria distribuído por centenas de nós em diferentes dispositivos, eliminando a possibilidade de um único servidor falhar devido a, digamos, um ataque DDoS.

A sobrecarga do governo também pode ser reduzida: um projeto que está sendo desenvolvido hoje, o Anonymouse, hospeda “microblogs” anônimos através de uma rede de telefonia móvel. Dentro dos países ameaçados por um governo autoritário, projetos como esses podem permitir que a informação seja distribuída livremente.

A tecnologia que permite isso é a mesma que impulsiona as criptomoedas: blockchain. Um protocolo blockchain é projetado para permitir transações em uma rede distribuída sem a necessidade de um intermediário supervisionando o processo. Qualquer informação pode ser observada por qualquer pessoa e é codificada de uma forma que não deixa ninguém mexer nela.

Berners-Lee acredita que o Solid

capacitará indivíduos, desenvolvedores e empresas com maneiras inteiramente novas de conceber, construir e encontrar aplicativos e serviços inovadores, confiáveis e benéficos”.

Os desenvolvedores precisam integrar o Solid em seus aplicativos e sites. Solid ainda está nos estágios iniciais, então não há aplicativos por enquanto, mas o site do projeto afirma que “a primeira onda de aplicativos Solid está sendo criada agora”.

Berners-Lee criou uma startup chamada Inrupt e tirou um período sabático do MIT para trabalhar em tempo integral no Solid e levá-lo “da visão de poucos para a realidade de muitos”.

Se você estiver interessado em Solid, saiba como criar aplicativos ou contribuir com o projeto de sua própria maneira. Naturalmente, será preciso muito esforço para construir e impulsionar a ampla adoção do Solid, de modo que cada contribuição contribua para o sucesso de uma rede descentralizada.

Um punhado de startups já está usando o blockchain para substituir certos serviços comuns da Internet: a Everipedia espera se tornar a Wikipedia no blockchain, por exemplo, enquanto a Mastodon espera se tornar o Twitter descentralizado.

Você acha que uma web descentralizada será uma realidade?

Já conhece nosso curso de Linux?

Open chat